Índice de Notícias

Cães
Gatos
Todos
Translate
Traducir
Temas Pet
Boletim Eletrônico - N° 1509 - #3
-
Animal Manager, essencial para os negócio.
Agressividade do cão em pauta

Valeriana Medrado Jornalista

Diferentes raças de cães têm temperamentos diferentes. Mas nem todos os comportamentos aparentemente originais de uma raça são realmente característicos dela, especificamente a agressividade. Um estudo recente indica que o comportamento do dono do cão pode ser a chave para prever se o animal será ou não agressivo. As informações são do site “The Dodo”.

A pesquisa aponta problemas em uma legislação que indevidamente discrimina determinadas raças com base na suposição de que elas são perigosas. De acordo com o estudo, o tipo de treinamento que o dono adota para seu animal, desempenha um papel maior na forma como o seu cão vai interagir com os humanos – estranhos e conhecidos – do que a raça. Os métodos de treinamento que utilizam reforço negativo aumentam as chances de agressão. Além disso, cães de pessoas com mais de 40 anos de idade se mostraram duas vezes menos propensos a ter problemas de agressão do que aqueles criados por pessoas com menos de 25 anos, segundo o estudo.

Os pesquisadores concluíram que treinar cães desde cedo – usando métodos de reforço positivo – pode diminuir a probabilidade de o animal se tornar agressivo, apesar do que rumores sobre algumas raças sugerem. Embora possa fazer sentido generalizar algumas tendências de comportamento canino, é errado supor que um cão vai ser agressivo, simplesmente pelo que diz seu pedigree.

A treinadora de cães Hetyene Borges concorda com o estudo. Para ela, o cão absorve o campo energético do proprietário, logo, se este é ansioso, nervoso, calmo demais, apático, o animal começará a manifestar também estes comportamentos. “Isso é comprovado por estudos de Rupert Sheldrake. Segundo o pesquisador, os laços de afetividade que temos com nossos cães, criam uma mistura de campos energéticos. Aspectos inconscientes do proprietário são percebidos pelo animal e manifestado por ele. Assim, se o dono muda de hábito o cão muda também”, afirma Hetyene Borges.


Fonte: Correio de Uberlândia - Publicado neste site em 01/06/2014


- Temas Pet é enviado a pessoas cadastradas ou indicadas. Se não deseja recebê-lo, ou considere que foi cadastrado indevidamente descadastre-se aqui