Índice de Notícias

Cães
Gatos
Todos
Translate
Traducir
Temas Pet
Boletim Eletrônico - N° 460 - #3
-
Animal Manager, essencial para os negócio.
Punição é branda para quem agride animais

Em Bauru, apenas 10% dos casos são denunciados, segundo ONG; crueldade em Goiás choca o país

REINALDO CHAVES

Mais um caso de maus tratos contra animais chocou o país nesta sexta-feira (16), quando foram divulgadas na internet imagens de uma agressão em Formosa (GO) contra um   cachorro da raça yorkshire, praticada por sua dona, uma enfermeira de 22 anos. O cão morreu em decorrência dos ferimentos, segundo o delegado da cidade – o vídeo está no portal da Rede BOM DIA: www.redebomdia.com.br.

Pelo menos outros quatro casos graves de maus tratos foram noticiados nos últimos dois meses. O que mais chamou a atenção foi o cachorro enterrado pelo próprio dono em Novo Horizonte. O animal sobreviveu e ganhou o nome de Titã.

O promotor Carlos Henrique Prestes Camargo, recentemente designado pelo Ministério Público para formar um grupo especial contra casos de maus tratos, disse  que a legislação ainda é fraca para punições.

“Em flagrante a pessoa pode ser presa, mas é solta em seguida porque a lei permite o pagamento de uma multa baixa. Só em casos de tráfico de animais, quando se prova existência de quadrilha, se consegue estender a prisão”, diz.

Ele atribui o aumento dos casos de violência a essa sensação de impunidade que as leis atuais provocam nos infratores.

O presidente da ONG Arca Brasil (Associação Humanitária de Proteção e Bem-Estar Animal), Marco Ciampi, faz um alerta: “Antes de acolher um animal, é muito importante refletir sobre as condições necessárias para criá-lo”.

Em Bauru, segundo Fatima Schroeder, da ONG Naturae Vitae,  a estimativa é que apenas um em cada dez casos de maus tratos seja denunciado. “Muitas vezes, a pessoa quer fazer alguma coisa, mas tem receio”, explica.   Desde agosto de 2010, Bauru criou o Comupda (Conselho Municipal de Proteção e Defesa dos Animais), mas ainda não há diretoria constituída.

Acusada diz que cão ‘dava muito trabalho’
A mulher que agrediu o cão,  identificada como Camila Corrêa Alves de Moura, disse em depoimento informal que estava “estressada” e que o cachorro “dava muito trabalho”. No mesmo depoimento, tentou justificar as ações afirmando que o cachorro era “praticamente um monstro”.  Heloísa Helena (PSOL), vereadora em Maceió, formalizou nesta sexta, no Ministério Público de Goiás, a denúncia de maus tratos. Nas redes sociais o tema foi um dos mais comentados do dia. As pessoas pedem prisão para a Camila. Todas as agressões contra o cachorro foram feitas na presença de uma criança. 


Fonte: Bom Dia - Publicado neste site em 21/12/2011

- Temas Pet é enviado a pessoas cadastradas ou indicadas. Se não deseja recebê-lo, ou considere que foi cadastrado indevidamente descadastre-se aqui