Índice de Notícias

Cães
Gatos
Todos
Translate
Traducir
Temas Pet
Boletim Eletrônico - N° 101 - #3
-
Homenagem Pet - Acenda uma Vela para seu Pet

Cães e gatos não podem comer tudo que aparece no prato do seu dono. Alimentação saudável e balanceada é garantia de uma vida longa e longe de problemas


Camila Turtelli
Agência BOM DIA

Não adianta querer dar pãozinho, banananinha – tudo assim, no diminutivo, como se fossem inofensíveis – para o seu animal de estimação e achar que está tudo bem. 

A médica veterinária Valéria Medina Camprigher, da clínica Dinda, é taxativa. “Não recomendo nada além da ração. Sempre falo que aquela cenourinha pode ser a porta de entrada para o seu cachorro sentar-se à mesa e comer macarronada com queijo aos domingos”, diz. 

A ração é completa e balanceada e ela acredita que qualquer alimento fora dessa dieta pode provocar um desequilíbrio. Além disso, dar alimentos “humanos” para seu pet é também uma forma de incentivar maus hábitos.

Valéria recomenda que, antes de escolher uma ração para o seu animal de estimação, é preciso ficar atento ao teor e à qualidade de proteína do produto. Geralmente a informação sobre essa quantidade já vem descrita no pacote, já a qualidade é referente a sua origem. “Prefira as de origem animal”, sugere Valéria. 

Outra informação que é bom não perder de vista é sobre a quantidade de gordura. Uma ração cheia dela é mais saborosa, porém, menos nutritiva e pode deixar seu bicho obeso. 

Mais uma dica geral e básica sobre a escolha da ração certa para o seu cachorro é relação à idade: filhote come ração de filhote.

A médica veterinária Valéria Medina Camprigher e a pastora belga Quack, de 4 anos, que agora só come ração especial para prevenir riscos à saúde, como os de má absorção intestinal aguda, má digestão e coliteA médica veterinária Valéria Medina Camprigher e a pastora belga Quack, de 4 anos, que agora só come ração especial para prevenir riscos à saúde, como os de má absorção intestinal aguda, má digestão e colite
Especiais/
 Além dessas regras gerais, existem muitas variações. A pastora belga Quack, 4 anos, por exemplo, se alimenta de uma ração especial. 

Ela é muito curiosa e sempre quis comer tudo o que via pela frente, de seringa a celulares. Um belo dia, ela acabou engolindo algo que provocou um abscesso no seu estômago e precisou ser operada. 

Depois desse episódio, sua alimentação nunca mais foi a mesma. Quack só pode comer ração especial destinada à cães para reduzir o risco de má absorção intestinal aguda, má digestão e colite. Se come qualquer outra coisa... é um problema, principalmente para quem precisa limpar o canil. 

Hoje em dia há no mercado uma série de opções, inclusive com alimentos certos para cada raça. “Se o proprietário pode ter esse luxo, é a melhor opção, porque elas atendem às necessidades especiais de cada raça”, recomenda Valéria. 

A que é feita para bulldogs, por exemplo, é mais anatômica e facilita a alimentação do cachorro que tem um focinho diferente dos outros. A para yorkshires tem propriedades que cuidam da pelagem do bicho. Se você não encontrar o alimento para a raça do seu cão, opte por aqueles desenvolvidos de acordo com o porte

Gatos são exigentes/ Felinos precisam de mais proteína do que cachorro. Por esse motivo, dificilmente você vai encontrar uma ração vegetariana de gatos no mercado. Além disso, gatos são suscetíveis a doenças do trato urinário que muitas vezes podem ser potencializadas pela má qualidade da alimentação. 

“É a Síndrome Urológica Felina, conhecida como SUF, que atinge principalmente gatos machos castrados”, conta Valéria. Portanto, além de uma ração com pouco sódio, é importante deixar sempre disponível água limpa e fresca para o seu bichano.

Cardápio especial para os doentes
Em situações raras, quando o animal está passando por algum tratamento do trato intestinal, a médica veterinária Valéria Medina Camprigher prepara uma alimentação de arroz e frango cozidos em 
água com sal

R$ 9,7  bilhões é quanto o mercado pet faturou no Brasil em 2009, sendo a alimentação responsável por 64% deste montante

Vereador propõe lei para criação de campanha de castração
O vereador bauruense Amarildo de Oliveira (PPS) apresentou um projeto de lei, publicado no Diário Oficial de quinta-feira, que autoriza o Poder Executivo a instituir Campanha de Controle Populacional de Cães e Gatos no Município de Bauru. 

Segundo a proposta, o evento seria realizado anualmente no calendário de vacinação,  em conjunto com clínicas da cidade, que ficariam responsáveis pela castração dos animais.

As operações teriam uma tabela de preços a ser editada pelo CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) e seriam gratuitas para animais pertencentes a pessoas inscritas no Cadastro Nacional das Pessoas Portadoras de Baixa Renda ou de entidades protetoras de animais.

O projeto prevê ainda uma cartilha a ser elaborada pela Secretaria de Saúde, com instruções educativas sobre a posse responsável de cães e gatos, com destaque especial para a importância da vacinação e vermifugação, cuidados a serem dispensados a animais feridos, atenção a sinais de doenças e, principalmente, informações gerais e úteis sobre a castração de animais.

Em sua exposição de motivos sobre o pedido de criação da lei, o vereador diz que muitas pessoas não têm a consciência do que é ter um animal e acabam abandonando o bicho, contribuindo para o aumento de cães e gatos que ficam nas ruas sem os devidos cuidados, doentes e subnutridos.



Fonte: Rede Bom Dia - Pet Gourmet - Publicado neste site em 11/04/2011

- Temas Pet é enviado a pessoas cadastradas ou indicadas. Se não deseja recebê-lo, ou considere que foi cadastrado indevidamente descadastre-se aqui