Índice de Notícias

Cães
Gatos
Todos
Translate
Traducir
Temas Pet
Boletim Eletrônico - N° 1277 - #3
-
Homenagem Pet - Acenda uma Vela para seu Pet
Universidade desenvolve método de castração química para animais no PA

Projeto da Ufra desenvolve método de castração em dose única.
Caravana pretende visitar municípios do estado.

Filhotes, adultos e cães idosos podem ser adotados (Foto: Cão Terapia/Divulgação)
Filhotes e adultos podem ser castrados (Foto: Cão Terapia/Divulgação)

Uma caravana do projeto 'Vida Digna', que realiza ações de castração química em cães e gatos, deverá fazer um mutirão no arquipélago do Marajó. Este tipo de castração, desenvolvido pela Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), é realizado sem cirurgia, através de uma injeção nos testículos do cão ou gato, para inibir a produção de espermatozóides.

Segundo dados de pesquisas das sociedades protetoras de animais, a cada gestação, uma fêmea pode gerar oito filhotes. Sem controle de natalidade, os animais geram filhotes, que por sua vez geram mais filhotes e assim, uma superpopulação de animais. Situação que foi vista recentemente no Marajó, na cidade de Santa Cruz do Arari, onde o prefeito, alegando que pretendia reduzir o número de cães no município, incentivou uma 'caça aos animais'.

Segundo os médicos veterinários, além de evitar a reprodução indiscriminada de animais, a castração também traz uma série de benefícios à saúde de cães e gatos: pode evitar infecções, diminui riscos de doenças nas vias uterinas e também os riscos de câncer de mama, útero, próstata e testículos.

A médica veterinária Maridelzira Betânia David, responsável pela pesquisa da castração química realizada na Ufra, ressalta a facilidade do processo. “Nós sabemos que a maioria dos municípios possui infraestrutura precária, por isso, uma das vantagens da castração química é que ela pode ser realizada em qualquer lugar, até embaixo de uma árvore. A aplicação leva segundos, e surte efeito em 30 dias”, diz a veterinária.

Custos

Uma castração em clínica particular custa, em média, R$ 200 para o macho e R$ 400 para a fêmea. A castração química reduz esse custo para R$ 60. De acordo com a Ufra, qualquer prefeitura pode solicitar a visita dos técnicos. A mão de obra dos médicos veterinários e estudantes é gratuita, as únicas despesas são das medicações e deslocamento da equipe de profissionais.

“Animais sem cuidado e que vivem nas ruas podem transmitir doenças, além de outros problemas. Muitos querem resolver a questão exterminando os animais, quando a solução é inibir a reprodução”, ressalta a veterinária.

De acordo com a Ufra, há um cronograma do projeto para percorrer os municípios de Icoaraci, Outeiro, Ananindeua, Benevides, Marituba, Santa Bárbara e Mosqueiro. Porém, os técnicos e pesquisadores aguardam a aprovação do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico para dar andamento às atividades.


Fonte: G1 - Publicado neste site em 23/07/2013

- Temas Pet é enviado a pessoas cadastradas ou indicadas. Se não deseja recebê-lo, ou considere que foi cadastrado indevidamente descadastre-se aqui