Índice de Notícias

Cães
Gatos
Todos
Translate
Traducir
Temas Pet
Boletim Eletrônico - N° 787 - #3
-
Homenagem Pet - Acenda uma Vela para seu Pet
Cães são novas vítimas de sequestradores

Cão de raça recuperado com pagamento de recompensa traz um alerta: se apropriar do bicho alheio é crime

ADRIANE SOUZA

O furto do cãozinho da raça yorkshire por uma grávida, na Vila Jardini, gerou boletim de ocorrência. Ganesh, de pouco mais de um ano, tem adoração pela poodle da vizinha, a Mel, e na manhã do dia 30 de julho saiu sozinho para visitá-la. “Ele estava na calçada e uma mulher, com uns oito meses de gestação, apareceu e tentou pegá-lo”, explica Sueli Bérgamo, dona da Mel.

De acordo com o relato da vizinha, a mulher disse para um homem: “Agora o negócio vai dar certo. Ele está aqui”. Ela pegou Ganesh e desapareceu. Sueli ligou para casa dos donos do yorkshire e contou do ocorrido. Foi então que todos perceberam o crime.

Desespero
As irmãs Ingrid e Bárbara Prestes Del Cistia se consideram mãe e pai de Ganesh, respectivamente. Quando foram avisadas pela mãe, Ângela Regina Prestes Del Cistia, do ocorrido, percorreram a vizinhança em busca do cãozinho. 

“Fizemos um monte de cartazes, e espalhamos por todos os bairros de Sorocaba, inclusive nas áreas periféricas”, explica Bárbara. Ela conta que a solidariedade das pessoas foi impressionante. “Um senhor deixou que eu colasse um cartaz na Kombi dele, uma mulher chorou muito comigo, quando contei nossa história”, diz Bárbara, de forma emocionada.

Final feliz
Os cartazes espalhados pela cidade deram resultado. “Recebemos a ligação de um homem informando que o Ganesh estava em segurança”, esclarece Ângela. Com isso, um amigo de Ingrid e Barbara as levou até o ponto de encontro.

Como no cartaz elas anunciaram que pagariam R$ 1 mil para encontrar o cãozinho, o valor de R$ 500 foi pago e o yorkshire foi devolvido dois dias depois.

“Quando o Ganesh entrou no carro, a emoção foi muito grande. Sentimos uma alegria indescritível”, recorda Bárbara, que não se cansa de dar carinho ao ‘filho’ da família.

Susto
O yorkshire da família Prestes Del Cistia tem alimentação especial. “Temos certeza que ele não sobreviveria por muito tempo”, finaliza Bárbara, contando que Ganesh estava desidratado e com carrapatos.

Apropriar-se do animal de outra pessoa é crime
Em maio deste ano, uma cachorrinha da raça lulu da pomerânia, de nome Flor de Liz foi levada da casa de sua dona, nas imediações do Jardim Piratininga. Após tentar localizar a cachorrinha, sua dona registrou um boletim de ocorrência de furto.

“De acordo com o Código Penal Brasileiro, o animal de estimação é visto como um patrimônio, portanto o caso está sendo investigado como furto”, explica a delegada Cássia Almagro Mezzono, responsável pelo 2º Distrito Policial que, entre outros delitos, também investiga crimes contra animais.

Complicação 
Ver um animal caminhando pela rua e levá-lo para casa também pode ser entendido como crime. “Se o bicho está bem tratado, é óbvio que ele tem um dono que deve estar tentando encontrá-lo”, destaca a delegada. Ela orienta que o correto é levar o bicho até o Plantão Policial mais próximo e informar o fato, podendo levar o animal para casa em seguida.

“Assim, se o dono vier a registrar uma ocorrência, localizaremos o animal com facilidade, sem que a pessoa que o encontrou seja responsabilizada criminalmente”, orienta a delegada Cássia. 

Receptação - Em alguns casos, a pessoa que pegou o bicho pode tentar vendê-lo. “Quem compra um animal furtado ou roubado pode responder pelo crime de receptação”, esclarece a delegada, informando ainda que, animais de raça devem ser adquiridos nos lugares corretos, para evitar problemas com a lei.

Devolução - Se o animal foi adquirido de forma irregular, sem o comprador ter desconfiado do crime, o bicho pode ser devolvido. “A entrega do animal pode anular a punição penal, afinal, o que nós queremos é que os donos recuperem seus animais de estimação”, relata a delegada. Ela finaliza dizendo que, em países como os Estados Unidos, os animais são devidamente cadastrados na prefeitura. “É um bom exemplo a ser seguido”, conclui.

Punições
Se o animal for levado com a intenção de lucro financeiro mediante extorsão, o crime pode gerar prisão de quatro a dez anos. No caso de furto, a pena pode chegar a quatro anos de cadeia. O comprador do bicho furtado pode responder criminalmente por receptação.

70% 
dos animais encontrados na rua estão perdidos e não abandonados 

A favor dos animais
A protetora Luciana Costa conta que as ONGs que trabalham na defesa dos animais fecharam uma parceria com a Prefeitura de Sorocaba e em poucos meses deverão inaugurar uma central de abrigamento de animais perdidos. “Será uma espécie de achados e perdidos animal. É um projeto pioneiro”, diz.


Fonte: Bom dia - Publicado neste site em 25/08/2012

- Temas Pet é enviado a pessoas cadastradas ou indicadas. Se não deseja recebê-lo, ou considere que foi cadastrado indevidamente descadastre-se aqui